25 de dezembro de 2014

A Sobrinha – Cap. 7


Obrigada pelos comentários!!! :D


Os dias em Los Angeles eram legais, sempre é bom viajar e ficar em lugares diferentes de sua vida monótona, mas eu sentia uma saudade de ter um bebê perto de mim, nunca pensaria que iria me apegar tanto a um bebê. Também sentia uma saudade enorme de Demi. Agora eu sentia o que ela havia falado, eu sentia a saudade de quando eu a deixava pra trás no Texas. Bom, eu só estava aqui há três dias e já não estava mais aguentando, talvez por estar sozinho e não ter ninguém pra conversar sobre coisas de mim, como Davis. Mas eu estava a trabalho, não iria sair comentando com qualquer um sobre meus sentimentos, iria ficar até o fim e seria competente como um bom profissional que sou. Affs, isso é ridículo, nunca me senti com os sentimentos tão aflorados, com tanta saudade e sozinho, talvez esse seja o mal de conviver diariamente com uma mulher.

Levantei de minha cama e me vesti, era a mesma rotina de sempre, fui a uma lanchonete e tomei o café da manhã, e fui direto pra empresa de Los Angeles. Aqui eu tinha muita coisa pra fazer, até por que eu era quase chefe da empresa principal, e aqui o chefe era praticamente eu.

Quando saí da empresa já estava tarde, a lua estava alta e eu estava completamente cansado e faminto, foi aí que percebi que não havia almoçado, parei em um restaurante e pedi um prato enorme pra janta, eu era grande e precisava comer muito.

Depois de satisfeito me recostei na cadeira colocando as mãos atrás da cabeça, não queria ir para o apartamento, não queria ficar sozinho. Olhei pro lado e vi um casal, a mulher parecia completamente apaixonada, segurava as mãos dele e suspirava quando ele arrastava a mão pelo braço dela. Já o cara somente ela não via o que ele queria, ele passava a mão nas coxas dela e apertava, falava coisas românticas ao ouvido. Sorri, essa também era minha tática no Texas, mas sempre no fim a mulher acabava sofrendo e chorando por minha causa, então decidi ser direto, assim a mulher sabe qual minha intenção.

Levantei-me e saí do restaurante, sabia o que fazer pra não passar a noite sozinho. Entrei em um PUB e pedi uma tequila, olhei pra todo lado, tinham algumas mulheres, mas apenas uma estava sozinha, sorri, ela era bonita, tinha os cabelos longos, castanhos e cacheados, estava bem vestida, parecia ter saído do trabalho, não poderia perder tempo, percebi olhares em cima dela.

_Oi._ Falei, ela sorriu ainda olhando para o copo. É, ela estava ali a procura de homens também.

_Oi._ Ela levantou a cabeça e seu sorriso sumiu e arregalou de leve os olhos, depois seus lábios se curvaram em um sorriso malicioso._ Te conheço?

_Creio que não._ Entrei em seu jogo._ Posso me sentar?

_Claro. Ainda não sei por que está de pé._ Sorri, pedi mais bebidas enquanto conversávamos.

_Não costumo encontrar homens tão bonitos quanto você por aqui.

_Não sou daqui.

_Bem que eu desconfiei.

_Vim de Nova York.

_Mas creio que não nasceu lá.

_Não, sou do Texas.

_Hum Texas._ falou sorrindo e bebendo um gole de sua bebida, parecia se lembrar de boas experiências. Jogou seus longos cabelos cacheados pra trás e respirando levantando o busto._ Texas tem muitos homens bonitos, não me impressiona que tenha vindo de lá._ Sorri.

_E você?

_Sou daqui mesmo, mas adoro viajar e conhecer pessoas novas.

_E o que uma mulher tão linda quanto você faz aqui sozinha?_ Ela limpou o batom vermelho que havia ficado no copo com os dedos.

_Apenas passando o tempo. Não tenho nada melhor pra fazer agora.

_Pois o que acha de sairmos daqui e aproveitarmos nosso tempo de uma forma melhor?

_Achei que nunca iria falar._ falou se levantando e pegando seu casaquinho que estava na cadeira._ O que está esperando?_ Perguntou quando percebeu que eu ainda estava sentado. Sorri e senti borboletas de antecipação, a noite seria interessante.

 

Abri a porta a cegas, saí tateando uma mesa e continuei andando enquanto beijava a... Me toquei que não sabia o nome dela. As pernas dela bateram na cama com tudo e caímos juntos, não consegui conter e comecei a rir, ela também estava gargalhando, a bebida ajudando. Ela começou a beijar meu pescoço e levantou sua perna levantando sua saia, passei a mão por sua coxa até chegar perto de sua bunda e do nada imaginei as pernas de Demi, senti um impulso tão grande ao imaginá-la que apertei a coxa com força a fazendo dar um leve grito e me fazendo acordar, arregalei os olhos, como poderia pensar em Demi nesse momento?

_O que foi?_ Perguntou ao perceber que fiquei parado e duro.

_Érr... Não é nada._ falei beijando seus lábios e tentando me focar no momento. Ela tirou minha camisa e começou a descer o beijo, fechei os olhos e me veio na cabeça à imagem de Demi de biquíni. Caramba, como aquela garotinha conseguiu ficar com aquele corpão tão desejoso, maravilhoso, ela havia crescido e aquilo estava meio óbvio e difícil de ignorar. Ela sempre fora muito linda, mas sempre a vira como a menina mais nova com que ele sempre cuidou, mas agora eu começava a criar desejo pela minha sobrinha bem mais nova, não poderia deixar de lado que já era uma mulher. Abri os olhos assustado, Meu Deus, o que estava acontecendo comigo? A mulher estava me olhando intrigada, eu ainda estava em cima dela.

_O que está acontecendo com você? Você fumou alguma coisa?_ Saí de cima dela completamente assustado, não poderia continuar aquilo pensando em Demi.

_Não._ falei apenas, segurei meu cabelo com força. O que estava acontecendo?

_Então volta pra cá._ falou dando palminhas em cima da cama. Pensei em continuar, mas imagens de Demi vinham a minha cabeça a todo tempo e foi o cúmulo quando a imaginei completamente nua no lugar daquela mulher.

_Não._ falei assustado. Ela franziu o cenho._ Me desculpe, não posso.

_Ah, não acredito que me meti com mais um homem apaixonado._ Resmungou pegando sua bolsa e seu casaquinho que estavam no chão.

_O que? Eu não estou apaixonado.

_Não. Tudo bem, já estou acostumada._ Falou indo direto pra porta._ Vocês tentam usar mulheres como eu pra esquecer a outra, mas na hora não consegue. Não aprendem mesmo._ Lhe entreguei um dinheiro e ela me olhou com o rosto confuso.

_ É para o taxi, por favor, aceite e me desculpe._ Ela apenas respirou e saiu andando.

Me joguei na cama e tentei não pensar nas palavras dela. Fala serio, nunca me apaixonei e já provei que nunca irei me apaixonar. Tentei ao máximo também não pensar em Demi, mas adormeci com seu sorriso em minha mente.

Acordei no dia seguinte completamente exausto. Me arrumei e fui direto para uma lanchonete, pedi um lanche leve, talvez tenha sido a comida pesada que havia me feito mal e ter delirado com Demi. Peguei um jornal enquanto comia, mas uma mesa ao lado me chamou mais atenção. Enquanto uma moça olhava em seu jornal não percebeu que seu filho se arrastava para fora do carrinho. O bebê caiu sentado no chão e então começou a engatinhar, por incrível que pareça na minha direção, segurou em minha calça e se levantou se segurando em mim, levantou seu bracinho em direção ao meu bolo mostrando o que queria.

_Qué... Qué._ Comecei a rir e lhe dei um pedaço, enquanto comia o peguei no colo e fui até a outra mesa.

_Olá. Suponho que este bebê seja seu._ falei e ela olhou pra mim, arregalou os olhos e olhou para o carrinho e voltando pra mim.

_Meu filho._ falou assustada e o pegou de meu colo.

_Já está bem travesso, saiu escorregando do carrinho._ Sorri.

_Obrigada. Obrigada mesmo, vou prestar mais atenção agora._ Sorri e fui até minha mesa deixei o dinheiro e fui para o trabalho.

Quando cheguei ao trabalho me celular tocou e vi que era Davis, sorri.

_E aí cara.

_Oi mano, como está se saindo aí?

_Estou bem, sabe que sou um bom profissional.

_Isso eu já sei, estou falando com as mulheres._ Apenas ri.

_Conversamos quando chegar aí._ Ela apenas soltou o ar inconformado. Ri._ E como está Demi e Kyle?

_Estão bem, Demi conseguiu o emprego e já está trabalhando, está sem tempo total e Kyle está com a babá. Ah e falando em babá acho que você vai adorá-la._ Falou com tom malicioso e eu ri.

_Cara, você não sabe o quanto estou com saudade.

_Arg, isso soou muito gay... Mas eu também estou._ Sorri, esse era Davis.

_ E como Demi está se saindo no emprego?

_Na minha opinião muito bem.

_Ai Deus...

_Ei pode ficar tranquilo, to tirando todo cara que chegar perto dela, pode ficar tranquilo.

_To mais preocupado é com você, se eu ficar sabendo que você deu em cima dela, ou beijou ela...

_ Pode ficar tranquilo com isso também. Ela é muito gata, mas to me segurando por você, só por que você me pediu pra não chegar perto dela. Sou um grande amigo, meu querido._ Sorri balançando a cabeça negativamente.

_Ok Davis. Depois nos falamos, tenho que trabalhar.

_Boa sorte pra você, deve estar entupido de coisas.

_ E estou.

_Então vou te deixar em paz, vai lá._ E desligou. Voltei aos meus afazeres.

Depois de uma semana, voltei para casa. Demi, Kyle e Davis estavam me esperando no aeroporto, sorri e vi Demi colocar Kyle no colo de Davis e correr na minha direção, joguei minhas malas no chão para segurá-la, ela pulou em meu colo e enroscou suas pernas em minha volta, a apertei, como estava com saudade daquele cheiro.

_Ai Meu Deus, pensei que iria morrer se saudade._ Murmurou em meu ouvido.

_Nem foi tanto tempo assim.

_Pra mim foi uma eternidade._ Sorri, no fundo pra mim também. Ela desceu de meu colo e Davis deixou Kyle com ela.

_ E aí cara._ Falou batendo em minha mão e depois nos abraçamos._ Tava com saudade._ gargalhei.

_ Eu sei.

_O escritório ficou muito chato sem você._ Olhei pra Kyle.

_Eu quero ver é o pequeno._ Falei chegando perto de Demi e o peguei no colo. Demi pareceu impressionada._ Como está em garotão de olhos bonito?_ Brinquei o levantando em cima de minha cabeça e depois o colocando no colo de Demi novamente.

_ Bom, agora tenho que voltar pro trabalho né._ Davis falou e eu olhei pra Demi.

_ E por que não está na faculdade?

_ Faltei pra vir te buscar._ Sorriu com os olhos brilhando. Só Deus sabia a saudade que eu estava daquela baixinha. Nem quando a deixava pra trás no Texas me sentia assim.

O elevador se abriu e eu fui direto pro sofá. Como eu adorava aquele sofá. Senti o cheiro de casa e sorri.

_Como é bom estar em casa._ Demi colocou Kyle no cercadinho e olhou pra mim.

_ Vai colocar suas malas no quarto enquanto vou fazer o almoço._ A olhei de cima a baixo.

_Já ta achando que é dona da casa é?_ Ela riu jogando a bolsa de Kyle em cima de mim.

_Anda logo e aproveita e leva a bolsa de Kyle ok._ falou indo pra cozinha. Ri e me levantei.

Estávamos assistindo um filme enquanto almoçávamos, Kyle estava tirando seu sono da tarde. Olhei pra Demi e ela parecia tão intrigada com o filme que nem se lembrava de comer.

_ Já estou terminando de comer e olha que eu coloquei mais que você._ Ela olhou pra mim e sorriu.

_Gosto muito desse filme, é um dos meus favoritos._ Olhei pro filme. Não me lembrava de já ter assistido. Olhei pra Demi, pensei que sabia todos os filmes favoritos dela... Mas passamos muito tempo separados, ela viveu novas emoções sem mim._ Você... Acredita em alma gêmea?_ Perguntou um pouco hesitante.

_ Sei lá, acho que não, nunca pensei nisso._ falei colocando meu prato no chão.

_Pois eu sim. Acho que existem pessoas que nasceram pra ficar juntos, mesmo com todos os obstáculos, tudo e todos para separá-los, eles ainda sim nasceram pra ficar juntos, uma alma só._ Refleti um pouco e a única coisa que entendi era que Demi era muito romântica. Mesmo com todo sofrimento amoroso que ela passou, ainda sim continuava sonhadora, apenas ri com o pensamento.

_ E se essas almas gêmeas não derem certo?_ Perguntei tentando entrar nesse assunto dela.

_ Se são almas gêmeas, não importa o que aconteça, eles ficarão juntos, a não ser pela morte, a morte é a única coisa que os separa. Sorri um pouco e ela olhou pra mim e percebi uma tristeza em seu olhar. _ Você não está levando a serio o que estou falando né?

_ Eu acho é que você que leva essa coisa a serio de mais._ Ela se virou pra televisão novamente um pouco emburrada e começou a comer.

_vamos terminar de assistir o filme._ Apenas continuei a encarando. Escutamos o choro de Kyle e nos olhamos, quando ela foi se levantar a segurei pela coxa, ela olhou minha mão e eu a retirei de imediato.

_Deixe que eu o pego._ Falei me levantando num pulo ainda me martirizando por ter pegado em sua coxa, não que eu nunca tivesse pegado, mas era um pouco diferente agora que eu já a imaginara nua.

Subi as escadas e peguei Kyle no colo ele logo parou de chorar, desci as escadas e me sentei ao lado de Demi que prestava atenção no filme e fiquei brincando com Kyle. Depois de um tempo percebi que Demi me encarava brincar com Kyle, olhei pra ela e sorri.

_Você seria um ótimo pai sabia?_ Ela falou.

_Sabia que andei pensando nisso?_ Brinquei, mas no fundo era verdade._ Sabe, graças a Kyle, sinto vontade de ter um filho._ Demi abriu um sorriso enorme.

_É serio?_ perguntou eufórica._ Vovô iria adorar essa noticia.

_É eu sei, mas não estou dizendo que vou ter, só falei que... Sei lá, tenho vontade de ser pai. Eu... Eu me apaixonei por esse garotão e fico imaginando um filho meu sabe.

_ Claro que eu te entendo._ Demi falava com um sorriso super largo.

_ Você não tem que trabalhar?_ Mudei de assunto.

_ Ah, é mesmo. Pode ficar com Kyle enquanto tomo banho? A babá já deve estar chegando.

_ Claro, sem problema._ E então ela subiu a escada em pulos. Ri, parecia uma criança.

Fiquei com Kyle deitado em meu peitoral enquanto eu estava deitado no sofá terminando de assistir aquele filme romântico que Demi tanto gostava e acabei quase chorando no final, ele era bom mesmo. Rapidamente a babá chegou a olhei de cima a baixo e me deu vontade de rir.  Então Davis estava me zoando. A babá era uma senhora. Tinha alguns fios de cabelo branco e parecia ser uma boa senhora. Sorri pra ela, Demi não queria mesmo que eu tivesse um caso com a babá.

_O senhor deve ser o senhor Jonas._ falou estendendo a mão, peguei em sua mão com a mão desocupada, a outra segurava Kyle sentado encostado em mim.

_ Sim sou eu.

_ Eu sou a nova babá, Eliane._ falou e eu logo pus Kyle em seu colo.

_Prazer em conhecê-la._ Ela sorriu e começou a conversar com Kyle. Fui para o sofá e e deitei novamente e logo escutei Demi descer as escadas.

_Ah, já se conheceram._ Arregalei os olhos. Demi me olhou e seu sorriso acabou, olhou pra sua roupa um pouco constrangida. Me sentei no sofá e engoli seco.

_Não tinha uma roupa um pouco maior?_ perguntei. Senti sua voz tremer ao falar.

_ Eu pedi a maior._ A olhei de cima a baixo novamente. O cabelo amarrado em um rabo de cavalo deixando os longos cabelos castanhos cair pelas costas, um pequeno chapeuzinho colocado de lado na cabeça, a blusa com um decote extraordinariamente enorme e a saia que com toda certeza era maior que das outras funcionárias, mas ainda assim não me agradou, era uma palmo acima do joelho, sem contar que dava pra perceber que ela estava usando uma meia calça da cor da pela bem transparente, se ela soubesse o quanto os homens gostam disso, principalmente de tirá-los, e por fim um sapato com salto pequeno._ Érr... Hum..._ Ficou desageitada com meu olhar._ Tenho que ir. Tchau filho._ Falou o beijando e olhou pra mim._ Tchau Joe, depois nos vemos. Tchau Eliane.

_ Tchau._ Demos tchau juntos, eu ainda a seguia com os olhos completamente espantado. Caramba, como aquilo foi acontecer. Não tinha sido uma boa ideia Demi trabalhar naquele local, na verdade foi uma péssima ideia. Ela estava completamente extraordinária naquela roupa. Continuei olhando por onde ela havia saído.

 

Depois de passar a tarde inteira no meu sofá comendo besteira e aproveitado meu dia de folga o sol começou a se pôr, Kyle pouco chorara, a babá era completamente esplêndida.

Me levantei do sofá e fui tomar meu banho, vesti uma calça de moletom e desci as escadas e peguei o notebook pra ver o que tinha pra amanhã no trabalho. Quando percebi já estava tarde. Mandei a babá ir embora, eu já estaria ali essa hora se estivesse trabalhando. Fiquei com Kyle assistindo televisão e Kyle acabou adormecendo deitado em minha barriga. O peguei no colo e o levei para o quarto. Quando estava descendo a escada, escutei barulho e vi que era Demi chegando.

_ Oi._ falou colocando a chave do carro em cima de uma mesinha perto da porta.

_Oi. Chega sempre essa hora?_ Perguntei olhando no relógio.

_ Saio de lá onze horas._ Sorriu.

_Ah. Tarde hein.

_ Pensei que já estivesse acostumado, fiquei sabendo que sempre frequenta lá.

_ É, mas você é uma estudante, precisa de mais tempo, sei lá, pensei que eles iriam olhar por esse lado.

_ Não posso interferir meus estudos no trabalho, são coisas completamente diferentes, e isso é apenas temporário, é só até eu conseguir um emprego na minha área._ Sorri. Segurei sua mão e a puxei pra perto e a abracei beijando o topo de sua cabeça, ela enlaçou seus braços envolta de mim.

_ Está cansada?

_ Um pouco._ Sua voz saiu como um cochicho.

_ Então vamos nos deitar, você vai acordar bem cedo amanhã pra ir pra faculdade._ Ela olhou pra mim e eu segurei seu rosto com minhas mãos, aquele rosto lindo, angelical, mas agora mais maduro.

_É. Eu sei._ Senti suas mãos se arrastarem pelas minhas costas e pararem em minha cintura, me arrepiei inteiro com aquilo, então suas mãos subiram pela minha lateral, passando pelos meus braços e parando em meu rosto, eu não estava gostando muito daquilo, tinha alguma coisa errado, mas eu não conseguia me mexer, minha respiração começou a acelerar, igual à dela. Ela se levantou vagarosamente na ponta dos pés e então fechou os olhos lentamente e triscou seus lábios aos meus. Senti uma vontade imensa de agarrá-la no mesmo momento, mas ao mesmo tempo senti vontade de fugir. Minha sobrinha estava me beijando. Eu continuava de olhos bem abertos e ela pediu passagem com a língua, mas eu não concedi, ela abriu os olhos e ficamos nos encarando bem de perto, ela se afastou rapidamente e arregalou os olhos ao perceber o que havia feito, e o pior, eu a ter rejeitado._ Me desculpe._ Pediu com a voz em um fiasco._ Ai meu Deus, me desculpe mesmo, desculpe._ Colocou as mãos na boca e olhou pro chão apavorada e depois pra mim._ Eu..._ Apontou pra escada completamente atordoada._ Vou dormir._ Simplesmente não consegui me mover, ainda não sabia o que estava acontecendo. Fiquei olhando pro nada completamente confuso e atordoado.
Continua...

Mari ;) Obrigada por estar comentando agora, que bom que tomou vergonha a cara kkkkkkkkkkk, Vc viu a dificuldade que Joe tem pra cuidar de Kyle kkkkkk, ele sempre vomita nele... Continua comentando.
Mirely Bonfim OOOoooooiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii kkkkkkkkkk
Cassia Cortiço kkkk Seus comentários são super top kkkkk, Continue lendo pra ver se Demi vai derramar bebidas pra se vingar kkkkkkkkk
Stephane Gabrielle É lindo Joe e Kyle neh? Essa foto é pra vc.
Galera obrigada pelos comentários... Vamos fechar com chave de ouro com outra foto de Joe e Alena (Adoro eles kkkk)
♡♡♡
BEKA!!!
♡♡♡

6 comentários:

  1. ELES SE BEIJARAM,ELES SE BEIJARAM,QUER DIZER ELA BEIJI ELE MAIS EU TO PARINDO UM KYLE AQUI GENTE ❤❤
    Awn eu ameei o Joe ta xonada por ela so q ainda nao percebeu,homi se situa
    Ele com ciumes dela kkkk
    Mds magina como a Demi vai ficar no outro dia?nao vai nem conseguir olhar na cara dele tadinha
    Ta perfeito vem k me abraça cara \o/
    Eu to xonada por essa fic
    Posta Logo
    Xoxo
    E feliz natal,sendo q nem e mais natal mais dane-se kkkk

    ResponderExcluir
  2. Ai meu Deus!!!!! Nossa senhora da bicicletinha dai me equilibrio! A Demj tomou coragem de beijar o Joe e ele todo lerdo não a beijou de volta. Que ódio! Joe cuidando do Kyle que fofo *--* Joe broxou cara kkkkkkkkk
    esta perfeito agora só precisa de um beijo deles de verdade para poder ficar ainda mais perfeito! ♡

    ResponderExcluir
  3. Ai gente q cap bafooooooooooooo.O Joe ta c mt ciumes dela meu Deus ele nem disfarça. N creio ele ta falando q qr ter filhos ele ta apx pelo kyle. Q LINDO. e pra terminar achei mt maldoso da sua parte parar nessa parte. POSTA

    ResponderExcluir
  4. Oiie..Estou apaixonada por essa fic. poste logo!! Bjs

    ResponderExcluir
  5. Gente do céu!!! Espera aí que eu vou ali tomar um ar... Ela beija Joe e ele simplesmente não faz nada. #revoltada. Posta logo gata!

    ResponderExcluir
  6. Tomara que ele vá atrás dela e acabe logo com a minha agonia....... posta mais flor..... tem chance de fazer uma maratona?

    ResponderExcluir