8 de novembro de 2013

Capítulo 11 – Amizade


Quando estava perto da esquina vi um garoto encostado num carro conhecido, de braços cruzados e cabeça baixa fitando o chão, fui chegando perto e acho que o reconheci.
_ Joe? _ Perguntei em dúvida. Ele levantou a cabeça sorrindo.
_ Achei que não viesse.
_ Achei que você já tivesse ido embora _ Falei envergonhada _ Afinal demorei muito.
_ Eu disse que ia te esperar _ Sorri fraco enquanto ele sorria largamente _ Vamos! _ Ele abriu a porta do carona.
Fiquei em dúvida, mas entrei mesmo assim, ele fechou a porta, deu a volta no carro correndo e entrou. Sorri também pela alegria dele.
_ Vamos onde? _ Perguntei quando ele começou a dirigir.
_ Comer. Estou morrendo de fome, e você já comeu?
_ Não, e desculpa pela demora _ Falei envergonhada.
_ Você ainda não comeu, então está perdoada _ Ele riu. O observei, ele estava com uma camiseta branca e uma xadrez por fora aberta, calça jeans e tênis. Depois fiquei encarando a rua, não perguntei aonde iríamos afinal não conhecia muito a cidade, mas depois de um tempo comecei a reconhecer o lugar, então estacionamos em frente ao lugar, quando vi o nome me lembrei que já tinha vindo aqui.
_ Restaurante e lanchonete amizade, esse lugar é incrível _ Joe comentou me despertando de meus devaneios.
_ Já vim aqui uma vez, é realmente um lugar bem legal.
_ Muito! Já conheceu as donas?
_ Não.
_ Espera! _ Ele saiu do carro e abriu a porta pra mim e estendeu a mão, segurei a mão dele e saí do carro.
_ Quem é esse cara educado? Cadê o Joe?
_ É esse aqui na sua frente. Você conhecerá o Joe original, sem falsidade _ Ele sorriu de lado. Fiquei desconfiada.

O homem que nos recebeu era o mesmo.
_ Senhor Jonas!
_ Olá Carlos, e as garotas?
_ No escritório _ Ele respondeu.
_ Então vamos lá _ Joe começou a andar e segurou minha mão para que o acompanhasse, sua mão era quente e parecia o encaixe perfeito na minha. O homem chamado Carlos me olhou meio confuso, talvez ele se lembrasse que eu vim aqui com outro cara e uma amiga.
_ Joe espera!
_ Que foi? _ Ele me olhou confuso.
_ Aí é a cozinha.
_ O escritório fica nos fundos _ Nós entramos e as pessoas estavam trabalhando a mil por hora, mas passamos por um corredor próprio, que era bem longe dos fogões, e não atrapalhávamos nem o trabalho deles nem nossos cabelos soltos. Joe então abriu uma porta _ Atrapalho?
_ Joe! _ As duas mulheres na sala disseram, uma era baixinha da pele clara e cabelos longos, lisos e pretos, a outra era mais alta, morena, dos cabelos lisos, longos e pretos _ Entra! _ Nós entramos e elas nos olharam sorridentes. Eles se cumprimentaram e olharam pra mim.
_ Essa é a Demétria _ Joe disse _ Essa é Gisely _ Ele apontou para a mais baixinha _ E essa é a Natália _ Ele apontou a mais alta e morena. Elas tinham praticamente a minha altura, uma um pouco mais alta e há outra um pouco mais baixa, mas não tinha muita diferença. Nos cumprimentamos e elas olharam para nossas mãos dadas.
_ Sua namorada Joe? _ Natália perguntou sorridente, parecia ter 20 anos.
_ Não, não. É só uma amiga _ Soltei a mão dele e abaixei a cabeça sem graça. Minha mão formigava, uma sensação estranha.
_ O que acha do estabelecimento? _ Gisely perguntou também sorridente, ela parecia ter 22 anos e ambas pareciam ser muito simpáticas.
_ Muito legal, gostei dessa união de restaurante e lanchonete em um mesmo lugar.
_ Que bom _ Natália disse.
_ Elas são três donas, Natália, Gisely e Letícia, são primas, abriram uma lanchonete e depois um restaurante e decidiram uní-los e ficou muito legal. Eu trago meus amigos pra divertir, e meu pai quando está na cidade vem aqui pra fazer reuniões, encontrar com alguns sócios _ Joe comentou.
_ Isso de qualquer pessoa vir é bem interessante _ Comentei e a porta se abriu.
_ Joe! _ A garota cumprimentou Joe _ E sua amiga, quem é?
_ Demétria _ Eu disse e ela me cumprimentou.
_ Sou Letícia _ Ela era um pouco mais alta que as outras, tinha a pele clara, cabelos cacheados, meio longos e castanhos. Parecia simpática como as primas.
_ E vocês são amigos? _ Ela perguntou.
_ É, ela é minha amiga e estou mostrando alguns lugares da cidade, afinal ela é nova aqui.
_ Então seja bem vinha. E Joe aproveitando que você está aqui quero sua opinião, vou roubá-lo um pouquinho _ Letícia o chamou, ela parecia ter uns 25 anos. Eles sentaram nas cadeiras que tinha ao redor da mesa na sala, tinha armários, e a sala era de uma cor clara, branca com detalhes coloridos, algo bem alegre.
_ Ele deve gostar muito de você _ Gisely comentou.
_ O que? _ Falei confusa.
_ Ele não costuma trazer amigas aqui no escritório, ou apresentar a cidade pra alguém _ Natália disse.
_ Mas costuma mostrar a faculdade pra todas.
_ Coisa de jovens _ Gisely falou.
_ Vocês já... tiveram alguma coisa... com... o...
_ Não, sempre fomos grandes amigos, só isso _ Natália me interrompeu.
_ Desculpe atrapalhar a conversa de vocês, mas estou morrendo de fome, vamos comer depois nos falamos mais.
_ Até mais _ Gisely disse.
_ Voltem mais vezes _ Natália falou.
_ Você é muito simpática, vem mais vezes Demétria _ Letícia quem falou.
_ Pode me chamar de Demi.
_ Então Demi e Joe até mais _ Elas disseram em coro.

Comemos e conversamos um pouco, havia muitas pessoas, tanto empresários como jovens pra curtir com os amigos.
Saímos pra outro lugar que Joe não quis dizer. Mas paramos perto de uma praça que eu não conhecia.
_ Esse é o meu lugar predileto, venho aqui quando quero ficar sozinho.
_ Perto de tanta gente?
_ Mas pessoas que eu não conheço, essa praça é incrível, vou a outras, mas essa é minha, nunca trouxe ninguém _ Olhei pra ele, com assim? Eu sou a primeira? Será que está sendo sincero? (Deixa pra lá), a praça era bem maior que aquela que fui um dia desses, tinha quadra de esportes, espaço para caminhada, mas o que mais me encantou foi o lago.
_ Vem cá! _ Ele segurou minha mão e começou a andar. Ele se sentou na grama de frente pro lago e encostou-se à árvore _ Senta, ou não quer sujar sua roupa na grama? _ Ele zoou, fiz careta e me sentei ao seu lado na sombra da árvore e sentindo a brisa bater em meu rosto _ Sempre me sento aqui.
_ Então me diz alguma coisa sobre você _ Ele me olhou confuso, mas pareceu entender aos poucos.
_ Eu não sou um idiota.
_ Uau! Essa ninguém sabe, com certeza é novidade _ Ele encarava o lago e riu do que eu disse.
_ Acho que... Não melhor, quando estava no colegial, eu era um garoto estudioso, mas era amigo de todos, praticava esportes, então era meio nerd, meio popular, mas meus amigos costumavam ficar com muitas garotas _ Ele olhava pra frente encarando o nada e eu não desviei o olhar de seu rosto _ Eu então comecei a ficar com muitas garotas, me tornando um pegador.
_ Muitos estilos não acha? _ Perguntei e olhei pra frente, pra olhar o lago.
_ Exatamente, eu tive crise de identidade, coisa de adolescente, apesar de que ainda tenho _ Ele riu, mas voltou a ficar sério _ Com isso fui ficando cada vez mais indeciso, então decidi que seria o que agradasse mais as pessoas, mas a sinceridade não agrada sempre.
_ Não. O que não agrada é a falsidade, e ser discreto não é ser falso.
_ Ser discreto _ Ele soltou uma gargalhada _ Agora sei por que não agrado a todos. Não sou discreto e já deu pra perceber. E todos já me conhecem como um idiota, burro, que não liga pra nada, aí fica difícil mudar. Os únicos que me conhecem realmente são os Jonas, Dani e meus pais.
_ O que você é realmente? Do que você mais gosta? Sinceridade por favor _ Eu pedi.
Ele soltou um suspiro pesado _ Não preciso ficar com tantas garotas, nem gosto delas realmente, faço isso mais por ser assim o Joe que todos conhecem, e também porque já me acostumei e fica difícil mudar assim de uma hora pra outra. Mas gosto muito de ler, só tiro notas altas.
_ E o seu hobby? _ Ele me olhou com uma expressão de dúvida, soltou outro suspiro, então percebi que ele não queria falar, mas falou mesmo assim.
_ Música _ O olhei surpresa _ Gosto de cantar, ouvir, escrever, qualquer coisa relacionada à música _ Eu estava boquiaberta _ Que foi? Acha que só sei malhar, e só você pode gostar de música?
_ Não. Mas o que? Você compõe? Toca algo? _ Ele não parava de encarar o lago.
_ Já escrevi algumas, e toco violão, guitarra, baixo e um pouco de piano e teclado.
_ E porque você não tocou algo no acampamento que fizemos? _ Eu o encarava tentando decifrar seu rosto, seu olhar, parecia perdido, triste, não sei. Ele demorou falar algo.
 _ Quer sorvete? _ Ele se virou pra me olhar.
_ O que? _ Fiquei confusa.
_ Estou perguntando se quer sorvete _ Ele disse se levantando e estendeu a mão pra me ajudar.
_ Quero _ Respondi mal educada e levantando sozinha.
_ Aqui em frente tem uma sorveteria ótima.
_ Então vamos logo _ Se ele pensa que eu deixei pra lá engano dele.

_ Até o sorvete que gosto você gosta _ Ele comentou rindo, enquanto andávamos, já tínhamos tomado sorvete, e estávamos andando, dando várias voltas pela praça. Ela era enorme e eu não estava mais aguentando andar.
_ Nem temos tanta coisa em comum, só o sorvete de flocos com prestigio, e cupuaçu com coco.
_ Somos completamente anormais, quanta mistura.
_ Não seu bobo, todos misturam sorvetes, e eu sou completamente normal. E já estou cansada de andar _ Comentei parando.
_ Sobe nas minhas costas _ Ele falou se ajeitando para que eu subisse.
_ Não, não. Porque eu faria isso? _ Ele se virou pra me olhar.
_ Quando eu não vejo você faz isso e quase me mata, agora que estou consciente disso você não vai subir? Vai sim.
_ Não. E desde o acampamento que não faço isso.
_ Então vai sobe _ Ele insistiu.
_ Não.
_ Então fique aí cansada _ Ele começou andar, eu fiquei parada um pouco, mas me lembrei que tinha esse meu jeito criança que eu nunca queria mudar, então corri até ele e pulei nas suas costas o fazendo desequilibrar e quase cairmos _ Viu!  Eu sabia que você faria isso.
_ Então porque não se preparou?
_ Posso te soltar e te deixar cair _ Ele riu e apertou as mãos que estavam nas minhas coxas, senti meu corpo arrepiar com aquilo e apertei mais meus braços em seu pescoço o fazendo tossir.
_ Posso te enforcar, então não me ameaça _ Soltei uma gargalhada alta o fazendo rir mais ainda.

Ficamos brincando e conversando bobeiras, perguntei mais algumas coisas e ele respondeu. Mas fomos almoçar novamente, uma hora da tarde, estávamos morrendo de fome, afinal andamos muito. Fomos para o restaurante e lanchonete amizade novamente.

_ Me acompanhe _ O garçom nos guiou até uma mesa com duas cadeiras perto de uma janela e entregou os cardápios.
_ Quero comida italiana _ Joe falou escolhendo. Acabei pedindo o mesmo.
_ Não é minha comida predileta, então não nos parecemos nada.
_ Parecemos sim, porque eu gosto, mas também não é minha comida predileta.
_ Dá um tempo Joe _ Fiz careta e ele riu.
_ Vamos mudar um pouco o rumo da nossa conversa?
_ Como? _ O olhei confusa.
_ Me responde algumas perguntas _ Ele pediu.
_ Só com uma condição eu pergunto, você pergunta, um de cada vez. E eu só respondo se você responder.
_ Fechado _ Ele falou sem pensar, depois fez careta _ Tem certeza?
_ Você quem sabe, só respondo se for assim.
_ Ta bom.
_ Eu começo _ Falei _ Qual seu esporte favorito? _ Ele suspirou aliviado, só porque era pergunta fácil?
_ Futebol. E o seu? _ Isso que ele quer saber de mim, ou quer começar tranquilamente como eu.
_ Nunca me dei bem com esportes, acho que ele me odeia, mas eu admiro muito o vôlei _ Falei e Joe soltou uma gargalhada.
_ O esporte te odeia? Ah ta! _ Ele foi se acalmando _ Sua vez.
_ Porque só mora você e o Nick? _ Ele ficou sério.
_ Hum! Porque ficamos jovens e queríamos sais da barra da saia da mamãe. E o que melhor que morar sozinho? Na verdade, com um irmão _ Ele explicou.
_ É! Vendo assim.
_ E o Kevin casou e se mudou pra cá, então viemos morar aqui também, mas vamos um final de semana sim e outro não na cidade vizinha visitar nossos pais _ Ele começou a falar mais descontraído.
_ Mas então você iria hoje pra casa dos seus pais? Não foi só por que ia sair comigo?  _ Perguntei preocupada.
_ Agora quem pergunta sou eu _ Ele falou tranquilo _ Já disse que veio pra cá porque Selena veio e ninguém queria se separar. Mas como fizeram amizade com Vanessa, a ponto de ela convidar vocês pro acampamento? _ Ele perguntou fazendo careta.
_ Não somos amigas. Estávamos na calçada, Sel, My e eu conversando e ela apareceu e puxou assunto, parecia legal, então nos convidou pro acampamento.
_ Parecia legal? A Vanessa? _ Ele riu, pensei bem e ri também _ Mas vocês foram sem nos conhecer.
_ Agora é minha vez.
_ Eu não perguntei, só afirmei _ Ele falou e eu bufei.
_ Queríamos diversão, conhecer pessoas novas, então fomos.
_ Imagina se fossemos uns malucos e agarrasse vocês.
_ Só você é assim, mas somos inteligentes e não caímos na sua _ Ele fez careta me fazendo rir.
_ Sua vez.
_ Com licença! _ O garçom chegou e colocou nossos pratos e nossas bebidas e saiu.
Eu ia abrir a boca pra falar _ Agora vamos comer, não podemos falar de boca cheia _ Ele falou e colocou a colher na boca, eu fechei a cara, isso não é justo.

A comida estava uma delícia, não queria nem conversar só saborear, Joe às vezes ria um pouco da minha cara de satisfeita com a comida, e eu só fazia careta.

_ Agora já comemos, posso perguntar? _ Perguntei quando terminamos o almoço.
_ Agora é hora da sobremesa. Garçom! _ Ele levantou a mão e fez um sinal, fazendo com que o garçom viesse com os cardápios.
_ Vai querer o que? _ Joe perguntou me entregando o cardápio e folheando o outro.
_ O que você quiser, mas escolhe logo que eu quero perguntar _ Falei entregando o cardápio ao garçom, mas sem desviar os olhos do Joe.
_ Calma princesa, sem pressa _ Ele escolheu algo pra nós dois e então olhou pra mim _ Agora pode.
Demorei um pouco tentando lembrar a pergunta que eu queria fazer antes, mas quando finalmente abri a boca para perguntar, o garçom voltou com nossa sobremesa.
_ Demorou princesa, agora vamos comer _ Ele riu da cara de indignada que eu fiz. Comi rapidamente e esperei enquanto ele comia com uma tranquilidade que me irritava, mas esperei _ Pergunta _ Ele falou comendo o pouco que tinha. Então me preparei pra falar.
_ Oi casal _ Olhei pro lado ao mesmo tempo em que Joe e vi as donas do lugar ao nosso lado. Letícia quem havia falado.
_ Oi garotas, resolvemos vir almoçar _ Joe falou.
_ Sintam-se a vontade, vou encontrar meu namorado agora _ Natália falou e nos cumprimentou saindo.
_ Também vou, vou passar o restante da tarde com meu noivo _ Gisely falou nos cumprimentou e saiu também.
_ É! Eu não tenho nada pra fazer, nem encontrar ninguém, então vou pra casa e não vou atrapalhar vocês _ Letícia nos cumprimentou também e saiu em seguida.
_ Eu desisto _ Me dei por vencida, então rimos.
_ Pode perguntar, agora ninguém mais vai interromper _ Ele inclinou o corpo pra frente e colocou os braços na mesa.
_ Então vai _ Ele me olhou atentamente _ Você ia visitar seus pais esse final de semana? _ Perguntei finalmente, e ele suspirou.
_ Não. Visitei meus pais final de semana passado, agora só final de semana que vem.
_ Mas você me chamou pra sair sábado passado. E isso foi uma...
_ Observação. Eu te chamei pra sair sábado, domingo eu ia.
_ Hum! Você sempre faz isso?
_ Não. E deixa eu perguntar _ Joe falou rapidamente.
_ Desculpa Senhor Jonas! Fique a vontade _ Falei, mas me arrependi quando ele sorriu.
_ Então...
_ Acho melhor pagar a conta _ Eu o interrompi.
_ Ta _ Ele riu _ Garçom! _ Ele chamou, pagou a conta e fomos pro carro _ Agora posso? _ Ele falou quando começou a dirigir.
_ Vai logo, antes que eu me arrependa _ Falei olhando pela janela.
_ Porque você não quis ficar comigo? _ Joe perguntou tranquilo, eu me virei bruscamente e o encarei assustada com a pergunta.
_ Por... Porque _ Respirei fundo me recompondo _ Conheço seu tipo Joe, e eu não me relaciono de modo algum com pessoas como você. Estou te dando uma segunda chance de apagar toda primeira má impressão que você causou.
_ Já te expliquei bastante coisa. Sinceramente, mereci essa segunda chance _ Joe falou abalado.
_ Quer saber a verdade? _ Perguntei olhando pra frente.
_ Sempre a verdade Demi, foi o nosso combinado _ Ele me olhou e voltou e olhar pra frente.
_ Meu ex _ Me interrompi e suspirei _ Meu ex-namorado era igual a você. Me fez sofrer muito, desde então não quero saber de pessoas como ele.
_ Eu sou diferente, já te mostrei isso o dia todo _ Joe falou _ Vamos ficar aqui! _ Ele começou estacionar na mesma praça em que vim com a Miley uma vez.
_ Então me fale algo que ninguém sabe _ Falei saindo do carro com Joe. Ele começou a andar e eu o acompanhei andando ao seu lado.
_ Você não me falou algo que ninguém sabe, porque eu devo falar? _ Ele só olhava pra frente.
_ O que? Quem queria provar algo aqui era você, não eu _ Falei e ele pareceu pensar.
_ Eu esperei um ano pra entrar na faculdade pra esperar o Nick _ Ele falou, seu olhar era perdido.
_ Sério? _ Falei parando e o fazendo parar e olhar pra mim, ficando um de frente pro outro.
_ E também porque estava em dúvida e é a única parte que as pessoas sabem _ Ele forçou um sorriso.
_ Você e o Nick tem uma ligação bem grande, acho legal essa união de vocês _ Falei indo em direção a um banco pra sentar e Joe se sentou ao meu lado.
_ É. Apesar de brigar sempre, somos bem unidos. Praticamente me sinto responsável por ele.
_ Você?! Com certeza ele quem cuida de você _ Falei rindo.
_ Na verdade quem cuida dele sou eu.
_ Joe! Os dois são bem grandinhos, ninguém cuida de ninguém _ Falei.
_ Aprendi muitas coisas por ele _ Ele falou olhando as pessoas que passeavam pela praça, enquanto eu o olhava.
_ Por exemplo _ Falei num tom brincalhão e cruzando os braços o fazendo olhar pra mim.
_ Melhor mudar de assunto.
_ Como é que é?
_ Já estamos falando do Nick e ele não vai gostar nenhum pouco _ Joe deu de ombros.
_ Não! Estamos falando de você _ Falei.
_ Demi, tudo que envolve outras pessoas eu não tenho direito de sair falando pra ninguém.
_ Joe! Eu não quero saber da vida dos outros, mas um pouco de você. E acontecem coisas com certas pessoas, mas que te influenciam _ Falei e ele me encarou de volta _ Quero entender porque você é assim.
_ Assim como? _ Ele pareceu confuso.
_ Assim meio criança, meio homem, meio responsável, meio... Irresponsável _ Dei ênfase na última palavra e ele fez careta _ É algo, mas demonstra ser outra, e seus sentimentos estão completamente escondidos, trancada com chaves.
_ Não demonstro o que não sinto e não escondo o que sinto. Raiva, alegria, indecisão, medo. Não escondo. E já te expliquei que estou sofrendo de crise de identidade até hoje.
_ Claro _ Ri, mas não tinha emoção.
_ Demi, a tristeza é algo meu, não compartilho com ninguém.
_ Não será compartilhar, mas se abrir. Sinceridade, ser verdadeiro com todos, assim você vai ver o que é realmente.
_ Eu não sei o que você me deu, mas parece um tipo de soro da verdade. Desde quando te conheci não minto, sou sincero até demais.
_ Então quando foi que você começou a ter essas dúvidas, do que fazer, de como ser...
_ Parece que sou gay _ Joe me interrompeu, me fazendo rir com o comentário.
_ Você entendeu _ Me aproximei.
_ Eu sei, estava brincando _ Ele também aproximou, então me afastei e olhei pra frente. Ele ficou me encarando por um tempo, mas não desviei meu olhar, mas também não via nada a minha frente, só sentia seu olhar em mim.
_ Perdi meu avô quando tinha doze anos _ Ele virou o rosto pra frente encarando o nada e eu o encarei. Quando ia falar algo ele continuou _ Sempre fomos muito unidos, ele quem me ensinou muita coisa, principalmente... A música. Taylor sempre foi bem próxima _ Virei meu rosto pra frente, ele continuou falando _ E nós sempre gostamos de cantar, mas principalmente Taylor e eu, dizíamos que faríamos uma banda juntos _ Ele riu como se lembrasse _ Meu avô tinha alguns instrumentos, seu predileto era o acordeom. Mas nos ensinou primeiro o piano, depois os outros instrumentos. Quando ele morreu, não sei, mas... Eu fiquei perdido, era um moleque, que acabara de perder seu herói. Então deixei a música de lado _ Olhei pra ele e vi seu olhar triste _ Decidi que não me apegaria a ninguém _ Fez-se um silêncio incomodo.
_ Então é daí que vem o Joe galinha _ Falei e ele riu, mas não havia humor algum _ Talvez seja por isso que você se sente perdido, com essa “crise de identidade” _ Fiz sinal com o dedo e ele virou pra me olhar _ Você está fugindo do que você é, porque quem você é realmente lembra o seu avô, a sua infância.
_ Parabéns, você é uma ótima terapeuta, psicóloga.
_ Pára Joe. Não estou te analisando, isso foi uma observação de amiga.
_ Cansei de falar, quero fazer outra coisa _ Ele se levantou.
_ Mas como estudante de psicologia, percebo que você esconde mais coisas _ Falei me levantando.
_ Tenho sim, depois te falo, vamos _ Ele começou andar, fiquei parada olhando-o, mas o segui. Ele precisava de alguma distração agora, então comecei correr e rir, ele veio atrás tentando me pegar.
Ficamos assim por algum tempo. Joe comprou pipoca pra gente, fizemos piadas um com o outro, e ele como uma criança que era entrou no parquinho que tinha na praça e foi brincar com as crianças. Elas pareciam adorá-lo, ele tinha jeito com crianças, e eu... Só ria sentada em um banco o observando.
_ Demi? _ Alguém me chamou.
_ Oi! _ Me levantei e o abracei toda animada, era Taylor.
_ Que faz aqui pequena? _ Ele olhou pra onde eu olhava antes _ Admirando as crianças, ou acompanhando alguma? _ Ele perguntou e eu ri.
_ Pode se dizer que estou acompanhando.
_ Então vou te fazer companhia enquanto a criança brinca _ Ele sentou e eu sentei ao seu lado _ Que bom te ver, não ia aguentar até terça, acho que vou te fazer uma visitinha e ver a loirinha e sua outra amiga que não conheço.
_ Ela tem namorada, é a Selena, e a Miley vai gostar de te ver, afinal você é o único que faz as coisas pra ela por vontade própria, alguns fazem por obrigação, ou por enjôo dela.
_ Ela é muito legal _ Ele olhou pro parque e me olhou novamente _ Ta acompanhando quem?
_ O maior _ Falei sem tirar os olhos de seu rosto.
_ Hum! _ Ele também ficou me encarando.
_ Estou atrapalhando? _ Taylor e eu olhamos um pouco assustados, e Joe nos olhava com a cara fechada, parecia que mataria Taylor só com o olhar.
_ Na verdade, um pouco _ Taylor falou se levantando.
_ Não _ Falei me levantando _ Eu estava conversando com meu amigo. Taylor esse é Joe, Joe esse é Taylor, trabalha comigo _ Apresentei-os.
_ Ah! _ Joe se acalmou _ Oi _ Ele estendeu a mão nada simpático.
_ Oi _ Taylor apertou sua mão, soltou e olhou pra mim _ Essa é a criança que você estava acompanhando? Com certeza era a maior _ Joe me olhou com uma cara que não consegui decifrar, mas não era boa.
_ Cinco horas, acho melhor ir embora _ Joe falou olhando no relógio _ Afinal estou atrapalhando.
_ Pode deixar eu deixo ela em casa.
_ Não. Para gente. Eu vim com o Joe e vou com ele, até terça _ Fui cumprimentar o Taylor, mas ele me abraçou, um abraço que posso dizer sufocante e interminável. Mas depois ele me beijou na testa.
_ Tchau pequena. Cuida dela _ Taylor falou pro Joe.
_ Pode deixar. Vamos princesa.
_ Tchau _ Falei pro Taylor novamente e saímos Joe e eu.

Rapidamente estávamos em casa.
_ Está entregue _ Ele olhou pra casa da Vanessa _ Acho que o Nick vai me matar, afinal ele pediu pra que eu não demorasse, e já são cinco e meia.
_ E ninguém sabe que eu saí com você, e não sabe onde eu fui, vão querer me matar _ Falei olhando pra porta _ Tenho que ir.
_ Também. Tchau! _ Ele apertou minha mão e fomos na mesma direção, afastamos o rosto e viramos pro mesmo lado, nos afastando de novo.
_ Hum! Tchau _ Falei rapidamente apertando mais sua mão. Soltei e entrei correndo.

Fechei a porta e escorei a testa na porta respirando fundo, que dia foi esse?
_ D-e-m-i! _ Me virei rapidamente e vi uma Miley super irritada de braços cruzados no meio da sala me fuzilando com os olhos.
_ Miley! _ Falei forçando um sorriso.
_ Onde você estava? _ Ela não mudava aquela pose de má.
_ Eu... Eu vou tomar um banho estou super cansada _ Subi correndo as escadas, afinal My com a perna engessada não conseguiria me alcançar.

Continua...

Pessoal! Já vou avisando que meus dias com internet estão perto de acabar, então estou fazendo o máximo para estar postando regularmente, porque quando acabar vai ficar mais difícil de postar. 
Mas... Se eu ver que os comentários forem aumentando de acordo com o que eu postar, vou tentar postar cada vez mais rápido. Depende de vocês. E obrigada por lerem e comentarem. 
♥ Bjinhos ♥

4 comentários:

  1. Adoreii o Capitulo
    Poste logo!! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Aaah PRINCESA! Tu é uma princesa cara! <33
    Amei *----* JEMI \o/\o/ hah'
    Posta Logo bjãoo

    ResponderExcluir
  3. Esse capítulo foi perfeito!!!
    Posta mais rápido por favor

    ResponderExcluir
  4. aHHHH INFINITAS EMOÇOES!!!!!!!!
    Eu apareci na história (# famosa) amei estou noiva kkkkkk
    Joe e Taylor com ciumes da Demi q linduuuu ou n né
    resumindo amando total !!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir